quarta-feira, 9 de junho de 2010

Suflê de Brócolis



Aí está uma receita rápida para incrementar o almoço do dia a dia, não dá muito trabalho e também é bastante rápido. Eu não uso tanto parmesão, acho que coloco uns 50 a 60 gramas. E dependendo do parmesão usado, a receita pode acabar ficando salgada. Tem um detalhe: depois de assado fica uma quantidade razoável de água, mas não achei que atrapalha o resultado final.

Ingredientes:
- 1 maço(s) de brócolis
- 1 caixinha(s) de creme de leite
- 2 xícara(s) (chá) de leite
- 1 tablete(s) de Caldo de Legumes
- quanto baste de sal
- quanto baste de pimenta-do-reino branca
- 1 unidade(s) de ovo
- 2 xícara(s) (chá) de parmesão ralado(s)

Modo de preparo:
Cozinhe os brócolis na água com o caldo de legumes. Em uma tigela, misture o ovo, o leite, o creme de leite, sal e pimenta.
Num refratário untado com manteiga, coloque o brócolis cozido e o molho da tigela. Polvilhe com parmesão e coloque no forno para gratinar.

A receita original é daqui.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Arroz Misto de Forno


Este arroz é bem prático para fazer, o único cuidado que precisa ter é na hora de temperar. Ele pode ficar salgado sem muito esforço, dependendo da linguiça ou do parmesão que você estiver usando.

E quando faço, fica como prato único mesmo, acrescentando só uma salada.



Ingredientes:
2 xícaras (chá) de arroz cru
1 cebola ralada
sal a gosto
5 colheres (sopa) de salsa picada
1 xícara (chá) de leite
200 g de parmesão ralado
5 colheres (sopa) de cebolinha picada
300 g de palmito em lata
300 g de presunto
4 tomates sem pele e sem sementes
2 colheres (sopa) de caldo de carne granulado
200 g de ervilha fresca
1 xícara (chá) de margarina
300 g de lingüiça calabresa moída

Modo de Preparo:
Pique o palmito, o presunto e o tomate (este em pedaços bem pequenos). Dissolva o caldo de carne em um pouco de água quente. Reserve. Unte um pirex grande com margarina (ele deverá ser preenchido até a metade de sua capacidade). Misture o arroz, a cebola, o tomate, o pimentão, a salsa, a cebolinha, a lingüiça, o presunto, o palmito, a ervilha e a metade do queijo ralado. Ponha a mistura no pirex.

No liquidificador coloque o caldo reservado, o leite, a margarina e o sal (convém lembrar-se de que o queijo, a margarina e o caldo já são salgados e que não é bom exagerar). Bata-os rapidamente (30 segundos) e, em seguida, derrame-o sobre o arroz. Certifique-se de que metade do pirex continua vazio. Polvilhe com o restante do queijo ralado e leve o risoto ao forno, preaquecido a 200ºC, por cerca de 1 hora.

Peguei a receita aqui.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Ciência na Cozinha #3 - O forno quente e sua mão

E então, você já se perguntou porque sua mão não queima quando entra no forno quente mas queima se tocar na assadeira, ou na porta do forno?

O segredo está na capacidade de condução de calor de cada coisa... Tudo a sua volta está em busca de equilíbrio térmico e quanto mais rápido o calor é conduzido em um material, mais rápido você pode se queimar. Como os metais são ótimos condutores térmicos, rapidinho o calor deles vai para a sua mão e aí dá aquela dor... Já a condutividade térmica do ar é "péssima" e você vai aguentar ficar com a mão dentro do forno um pouquinho de tempo, o suficiente para puxar a assadeira ou espetar o bolo ;)

Espero que tenham gostado...

Até a próxima!

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Chocolate quente

Bem, não conheço ninguém que não goste de chocolate quente... E este então, é só sucesso. A receita peguei no Cyber Cook tem um tempão.

Ingredientes:
- 1 lata(s) de creme de leite
- 1 lata(s) de leite condensado
- 1 litro(s) de leite
- 4 colher(es) (sopa) de chocolate em pó
- 1 colher(es) (sopa) de amido de milho
- 1 colher(es) (café) de noz-moscada
- 2 unidade(s) de canela em pau
- 6 unidade(s) de cravo-da-índia
- 1 1/2 xícara(s) (café) de rum

Modo de preparo:
Misture o leite, o leite condensado, o chocolate, o amido de milho, a noz-moscada, o cravo e a canela. Coloque no fogo e espere ferver. Retire do fogo e misture o creme de leite. Coe para retirar os pedaços de canela e o cravo. Misture o rum.

Nunca coloquei rum nem licor porque não tenho bebidas em casa, mas mesmo sem eles ficou muito gostoso.

Aproveitem!

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Ciência na Cozinha #2 - Microondas - parte 1

A radiação de microondas, que é o princípio ativo do seu forno microondas, só atuam sobre as moléculas polares (água, óleo, e outras). Estas moléculas são agitadas de forma uniforme e aí se dá o aumento de temperatura também de forma uniforme...

Então, não se esqueça que a porta do seu microondas é muito importante pois ela protege você desta radiação. E é também por causa desta segurança que o forno microondas sempre desliga quando você abre a porta.

Até a próxima...

E se quiserem mandar qualquer sugestão "de pauta", será muito bemvindo.

[]s

terça-feira, 18 de maio de 2010

Frango no vinho

Fazer o frango no vinho é moleza... E fica uma delícia para assar no churrasco ou em casa, no forno.

Eu tempero o frango (sempre fizemos com coxa e sobrecoxa) com sal e alho, ou tempero completo. Depois é só colocar o vinho. Eu sempre uso vinho seco, primeiro pq nem compro vinho suave, segundo pq acho que o suave não deve ser bom para colocar na comida por causa do açúcar. Achismo meu...

Quantidades? Sempre faço no olhômetro, mas coloco vinho suficiente para pegar todo o frango, sem necessariamente deixar ele nadando. E aí deixo marinando umas 3 horas.

E então vai aí uma dica que pra mim foi super útil. Eu e o DH (dear husband) nunca tomamos uma garrafa toda de vinho e aí me pesava na consciência o desperdício (sim, eu não tomo o vinho da garrafa aberta sei lá quantas horas antes...). Então um dia a Nigella deu a dica no programa dela: congelar o vinho que sobra e usar na cozinha. Pra falar a verdade, não cri muito não, mas testei e ficou ótimo.

Peso na consciência nunca mais!!! Pelo menos não por causa do vinho ;)

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Ciência na Cozinha #1 - Panela de pressão

Então vamos ao nosso primeiro post sobre a ciência na cozinha.

Para entender porque os alimentos cozinham mais rápido na panela de pressão, vamos voltar lá na época "du culégio":

Você provavelmente ainda se lembra que a água ferve (ponto de ebulição) em diferentes temperaturas, dependendo da altitude. NÃO?!?!?! Bem, então vamos relembrar. A água ferve a 100ºC ao nível do mar, e conforme a altitude aumenta, esta temperatura diminui. Isto acontece por causa da pressão atmosférica. É algo como: quanto maior é a altitude (isto é, menor a pressão atmosférica), "menor peso" é exercido sobre as moléculas, então elas podem mudar de estado mais rapidamente. Resumindo: o PE é diretamente proporcional a pressão atmosférica. Quanto maior a pressão, maior o PE e vice-versa.

E como você já sabe, na panela de pressão há pressão... Aquela borracha da tampa veda a saída do vapor e por isso a pressão interna aumenta e aí o ponto de ebulição da água sobe, e depois, tam-ram: os alimentos cozinharão mais rápido. Legal, né? Bem, eu acho...

Até que você termine de cozinhar seu alimento, a pressão interna da panela continuaria subindo se não fosse pela válvula de escape principal, que dá a estabilidade. É por isso que a limpeza das válvulas é tão importante. Se a válvula de escape entupir, há a válvula de segurança que irá estourar para que a panela não estoure. E se a válvula de segurança não funcionar o estrago é feio, eu garanto. Já vi o resultado de uma panela de pressão estourar e não é nada bonito, além de muito perigoso.

Espero que tenha sido útil, interessante ou algo assim positivo. E se você encontrar algo errado por aqui é porque provavelmente errei mesmo, então me corrija por favor.

[]s

terça-feira, 4 de maio de 2010

Ciência na Cozinha


Eu tenho uma certa mania, curiosidade ou seja lá o que for de saber como as coisas funcionam, "porque as coisas são como são" no melhor estilo Sid, o cientista.

E vocês? Também param para pensar na ciência que há na cozinha? Com certeza não tem lugar melhor para entender sobre física, química e até mesmo biologia...

Algumas repostas encontrei ao acaso, outras pesquisando e algumas apenas deduzindo a partir do pouco conhecimento que tenho de ciências (e aí tenho que pesquisar para saber se acertei).

Bem, a partir da próxima quinta, tentarei colocar curiosidades sobre a ciência na cozinha, quinzenalmente. E espero que vocês gostem. E para inaugurar vamos falar da tão usada panela de pressão.

Aguardem.

domingo, 2 de maio de 2010

Torta de sardinha

Sempre que faço esta receita é sucesso total.

A massa é bem leve e com certeza combina com qualquer recheio que você queria inventar. Já fiz com atum, ou atum e sardinha (pq não tinha nem um nem outro em quantidade suficiente). E minha irmã fez uma versão vegetariana usando abobrinha.

2 xícaras de farinha de trigo
1 colher sopa fermento em pó
2 ovos
1/2 xícara de óleo
1colher pequena de sal
2 xícaras de leite
2 latas (grandes) de sardinhas (ou 3 pequenas)
1 lata de molho vermelho a gosto
1 lata de ervilha
Alho a gosto
1 caldo knnor
óleo

Para a massa, bata no liquidificador, a farinha, o fermento, leite, óleo, os ovos, o sal e reserve.

Coloque óleo na panela com alho, deixe dourar, acrescnte as sardinhas, o molho, a ervilha e o caldo knnor, deixe ferver por 10 minutos

Unte uma assadeira com manteiga, bata a massa novamente e despeje na assadeira. Jogue o molho de sardinha em cima da massa de modo que ela fique toda coberta, leve ao forno por mais ou menos 35 minutos a 230°C. Se quiser, teste o ponto da massa com o palito de dente ou garfo.

Receita retirada do site Tudo Gostoso. A original você encontra aqui.

[]s

domingo, 25 de abril de 2010

Temperando frango

Meu marido fez um curso de culinária (sim, ele cozinha e muuuuuuuito bem!) e lá ele aprendeu a fazer um tempero que fica uma delícia, mas estou aqui para registrar minhas experiências e não as dele, então...

Fui assar coxinha de asa e usei o tempero que ele aprendeu.

Para 12 coxinhas eu usei
  • 1 1/2 colher de sopa de mostarda
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 1 colher de sopa de vinagre
  • orégano
  • tempero completo (daquele arisco).
Misturei tudo e deixei o frango marinar por duas horas.

Ficou muito bom.

Ah, sim... Ele aprendeu a fazer este tempero também para carne vermelha, e como erva ele usa alecrim... Mas tem que ser pouco senão o gosto fica muito forte.

[]s

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Cupcakes

Pois é, para quem viu o primeiro post deste blog, sabe que decidi tentar fazer essa gostosura chamada cupcake.

A inspiração para me aventurar veio do blog Hoje Estou Inspirado.

Fiz um pouco diferente do que o Roberto explica no blog dele, então vou colocar do jeito que fiz. Não fiz recheio ou cobertura, por isso não vou colocar aqui. Mas nas próximas experiências, coloco aqui no blog como foi. Só fiz a massa básica.

200g de manteiga
1 xícara e 1/2 de chá de açúcar
3 ovos inteiros
1 xícara de chá de leite
2 xícaras de chá de farinha de trigo peneirada
1 colher de sopa de fermento em pó
(todos os ingredientes estavam em temperatura ambiente)

Na batedeira, bati a manteiga e o açúcar até ficar um creme claro e alto.
Com a batedeira ainda ligada juntei os ovos inteiros, um a um.

Com a batedeira em velocidade menor, fui derramando o leite aos poucos, depois a farinha de trigo também aos poucos. O fermento eu já tinha peneirado junto com a farinha

Segundo o Roberto, é necessário colocar a massa em assadeira apropriada para cupcakes (e não somente naquela fôrma de papel) para que ele cresça para cima. Para quem não tem fôrma de cupcakes, ele sugere colocar as forminhas de papel dentro de fôrmas de empada (mas não pode ser muito pequena, a não ser que você queira um minicupcake.

Comprei a fôrminha de papel tamanho zero (a maior). Detalhe: na hora de comprar a fôrma de papel verifique se é a do tipo que vai ao forno. Fui pegando a mais barata e quase compro a errada.

Bem, na primeira fornada eu errei a quantidade de massa nas forminhas. Claro que eu podia errar para mais ou para menos mas pela Lei de Murphy eu tinha que errar para dar o pior resultado: coloquei massa demais. Então já vai aí mais uma dica: coloque a assadeira de cupcake dentro de uma assadeira maior, assim você não corre o risco de ficar com a cozinha cheia de fumaça, além do forno necessitado de uma boa limpeza.

Vou repetir aqui as fotos do meu primeiro post, onde coloquei as fotos desta divertida (e um pouco desastrada) experiência.


Pois é, ficaram feinhos, né? Mas quem vê cara não vê coração... Eles ficaram deliciosos! E a minha filha nem se ligou na feiura deles (por isso que Jesus nos manda ser como crianças!).

O Roberto falou sobre colocar a massa na geladeira um pouco para manter o ponto. E foi o que eu fiz, por 4 horas. Explico: fiz a primeira fornada e depois de pronta não deu tempo de colocar a segunda no forno pois ía para o parquinho com minhas filhas. Então, a massa ficou na geladeira até depois do jantar, que foi quando pude fazer a segunda leva de bolinhos.

Aqui está a segunda fornada. Fiz de chocolate. Acrescentei cacau em pó e bicarbonato de sódio. Estas não derramaram no forno. Coloquei mais ou menos uma colher de sopa de massa em cada forminha. Se eu tivesse acertado a quantidade na primeira fornada, acho que teria dado um pouco mais de 20 cupcakes.

Ah, sim. Quando tirei a massa da geladeira, ela estava bem dura por causa da gordura. Então fui batendo aos poucos com o fouet para a massa ir ficando na temperatura ambiente (se lembra das aulas de física? Aumento da agitação das partículas igual a aumento de temperatura. E você achou que as aulas eram inúteis, hein?).

Não notei diferença na textura dos cupcakes entre as duas fornadas. Falo isso por causa do tempo de geladeira da segunda leva de massa. O forno estava pré-aquecido por 15 minutos a 180ºC. A primeira fornada foi 30 minutos, a mais ou menos 205ºC. Já a segunda foi um pouco mais, acho que entre 35 e 40 minutos. Meu fogão é daquele de dois fornos e o forno menor assa as coisas mais rápido.

O Roberto fez um post super bem explicado de como fazer a massa. A de chocolate ele fez um pouco diferente e também fez cupcakes recheados e com cobertura.

Espero que minha experiência tenha sido útil para vocês.

Até mais.

domingo, 18 de abril de 2010

Tempero para salada


Por mais simples que seja, sempre tive dificuldade em temperar saladas. Na verdade meu maior problema era o vinagre (ou limão), eu sempre errava na quantidade.

Um dia assistindo a um dos programas do Jamie Oliver, ele deu uma dica e para mim ficou perfeito.

Para uma medida de vinagre (ou limão), são três medidas de óleo vegetal. E o tempero a gosto (sal, ervas, Ajinomoto etc.)

Bem, a receita é simples mas para mim deu super certo.

Até mais...

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Para começar

Hoje decidi começar um blog para registrar minhas experiências na cozinha... Então, primeiro passo, escolher um nome...

De imediato tentei vários e claro, já existiam... Aí desliguei meu notebook, fui cuidar dos meus afazeres mas ainda pensando no nome do blog. Então pensei na minha experiência de hoje: fazer cupcakes.

Eis minha primeira fornada:


QUE DESASTRE (quase) TOTAL!!! E aí percebi como mudei, pois um resultado como o de hoje me deixaria totalmente frustrada, com raiva, e com muita vontade de sair quebrando tudo. Sério!

Mas depois de passar muita raiva na cozinha aprendi que a gente aprimora as coisas com o tempo. Em tudo na vida, e claro descobri que eu não nasci para ser uma Nigella Lawson, ou um Jamie Oliver.

Aí veio o nome do blog: Diversão na Cozinha... Não importa o resultado, o que importa é curtir o processo, tirar o stress, relaxar, se divertir...

Mas a boa notícia é que a segunda fornada já foi melhorzinha...


É isso mesmo... Não precisa colocar um moooooooooonte de massa na forminha... ;)

Depois volto para colocar a receita e minhas dicas particulares.

Bem, sejam bem-vindos e divirtam-se tanto quanto eu.

Até mais